Operação libera caminhões presos em bloqueios nas BRs 101 e 405 no RN

Uma operação de forças de segurança liberou no fim da tarde desta quarta-feira (30) os caminhões que estavam presos na mobilização na BR-101, em Parnamirim, na Grande Natal, e na BR-405 em Apodi, na região Oeste do estado. Com isso, não há pontos de bloqueio a motoristas e todos os veículos de carga podem transitar pelas rodovias do RN. Permanecem nos acostamentos apenas os caminhões que fazem parte da mobilização. Este é o 10º dia de greve de caminhoneiros no RN.

A BR-101, em Parnamirim, foi um dos primeiros pontos de mobilização dos caminhoneiros no RN. A Polícia Rodoviária atuou na liberação do local. Com a chegada dos policiais ao local, manifestantes ocuparam as pistas da BR-101 no sentido Parnamirim e interditaram todas as pistas. O trânsito ficou totalmente bloqueado por alguns minutos, mas após negociação com a PRF a via foi liberada novamente.

Os caminhões que saíam da mobilização eram alvo de pedras e côcos jogados por manifestantes. A PM foi acionada e, em seguida, a situação foi controlada.

O bloqueio em Parnamirim contava com centenas de caminhões. Muitos estavam no local obrigados. Na manhã desta terça, uma equipe do G1 flagrou o momento em que manifestantes abordaram um caminhão e obrigaram o motorista a encostar o veícula na marginal da BR-101, em Parnamirim.

Em Apodi, participaram da liberação dos caminhões a PRF, PM e Força Nacional. Com a liberação desses dois locais, o RN não tem mais nenhum ponto de mobilização.

Reflexos da greve

No 10º dia de greve dos caminhoneiros pelo menos oito cidades do estado suspenderam as aulas nas escolas municipais. Em Natal, os ônibus circularam com frota reduzida, somente 70% saíram às ruas.

O estado também sofre com a falta de combustíveis. Segundo o Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do RN, em todos os postos do estado (aproximadamente 580) está faltando pelo menos um tipo de combustível, seja gasolina, etanol ou mesmo óleo diesel.

Na economia, vários setores foram prejudicados com a greve. De acordo com a Federação das Indústrias do RN, setores da economia potiguar tiveram queda de até 100% nas vendas durante greve dos caminhoneiros.


*G1RN

0 comentários:

Postar um comentário